quarta-feira, 21 de julho de 2010

Que as flôres nos consolem...


Mediante tantas notícias trágidas, tantas vidas que se vão de maneira banal, algumas de forma estúpida,tantas atrocidades e infelicidades...
Nos resta voltar nossos corações e mentes para as maravilhas que a natureza nos fornece e perceber os ciclos da vida.
A natureza se reinventa, a vida se reinventa.
O que será a morte? O fim? Um novo começo.
Onde achar as respostas? Na fé,na religião? Na paisagem, no nosso íntimo.
Não consigo conceber uma dor maior que a dor da perda de um filho...
Que rezem, os que são de rezar. Que chorem, os que são de chorar.
Que tenham forças, aqueles que delas precisar.
E que espalhemos coisas boas, sempre.
O que nos aguarda amanhã, só o amanhã dirá.
Olhemos pois, as flôres e seu eterno ciclo de nascer e renascer.
Quem sabe descobrimos um bálsamo para essa dor que é de todos, mesmo sendo de uns poucos.