quinta-feira, 21 de janeiro de 2010

Mais poemas juvenis.


Aí vão mais dois exemplares de meus poemas de adolescência.



Tua boca
Um abismo
Rosas vermelhas
Sou abelha
Sentindo seu mel

Me afogo no afago
No abismo de desejos
Se tua boca quentinha
Vem me dar um beijo





Vasos de concreto
Despoetizando as flôres
Que nele jazem
Sepultando a flôr
Que nele nasce
---------------------
Prá não dizer
Que não falei de flôres
Falo nas que jazem
Por imensos blocos
de cimento armado.



Observação:
A flôr é de um galho de hibisco que eu achei na rua e plantei num vaso. Esta da foto abriu no dia do meu aniversário.