terça-feira, 23 de dezembro de 2014

Festas Boas




Vejo nas redes sociais uma porção de gente reclamando dessa época.
Confesso que nunca liguei muito pra essa coisa de natal já que na minha casa não se comemorava e eu acabava achando uma época triste e enfadonha pois todo mundo tinha uma série de compromissos familiares e eu acabava sobrando.
Quando fui morar sozinha  passei a conviver com gente que curtia essas datas e usava esses momentos para reunir amigos, família, confraternizar, celebrar , se divertir.
Para  uma reflexão,  para se unir em oração, enfim, tudo ao mesmo tempo, agora.
A partir dessas novas experiências, que coincidiu com a mania dos cariocas de enfeitar as sacadas dos apartamentos com luzes e também com a árvore da Lagoa, passei a observar melhor esses momentos e a me deixar envolver pelo clima natalino.
Logo em seguida tive a minha primeira filha e aí a coisa deslanchou.
Esse burburinho, esse clima de celebração no ar. A preparação, as roupas e sapatos novos, as lembranças, os sorrisos, tudo é motivo de diversão. Quando veio a segunda filha as comemorações já estavam instauradas e só fez aprimorar nossos momentos.
Nada de grandes preparações, nada de ceias lotadas de comidas que demoram dias para ficarem prontas, nada de consumismo desenfreado. Mas muita cantoria, muita celebração, muitos afagos e principalmente, muito convívio, muita conversa (mais ainda) para explicar o significado disso tudo e questionar, repensar, programar anos melhores.
Adoro!!!!!!! Nossa ceia é um jantar simples, um pouco mais rebuscado que o dia-a-dia.
Nossos presentes não tem grife nem moda, damos o que gostamos e precisamos.
Gastamos pouco mas gastamos bem, pois o mais importante é estarmos juntos.
E estamos juntos de quem gostamos e queremos estar, sem obrigações ou conveniências.
Esse é o nosso espírito de natal e desejo que cada pessoa encontre o seu motivo para celebrar pois a vida é muito mais leve quando comemoramos estarmos vivos.
Bom natal para todos, até para aqueles que não gostam do natal.